Bazar Khan El Khalili

“A tamiya era a melhor que ele já tinha experimentado; ele agradeceu aos céus. O seu pai também gostou, e transformou suas orações em um louvor ao novo bairro onde eles estavam vivendo agora.”

(Khan El Khalili, Naguib Mahfouz)

Boy selling bread in the Khan-el-Khalili bazaar

Menino vendendo pão no Bazar Khan El Khalili

Não é a toa que o célebre escritor egípcio Naguib Mahfouz, que levou o Nobel de Literatura em 1988, eternizou Khan El Khalili em um de seus livros. Mas, muito antes de ficar marcado para sempre na escrita de Mahfouz, Khan El Khalili já vinha inspirando as pessoas há séculos. É hora de você conhecer um pouco mais desse lugar verdadeiramente fascinante do Cairo.

Um incomparável mercado a céu aberto

Na sua visita ao Egito, é normal e esperado que se pense em pirâmides, templos e na história antiga. Mas ainda há muito do antigo que se mistura com o que é contemporâneo. Khan El Khalili é um dos mercados tradicionais a céu aberto mais antigos do Oriente Médio, podendo até ser o mais antigo. Sabe-se que sua origem remonta ao século XIV, como vamos ver mais adiante. É uma parada obrigatória não só para fazer compras, caso você queira, mas para se aproximar da cultura egípcia, dos hábitos das pessoas, seu comportamento e ter uma experiência mais rica.

Uma história: como tudo começou?

Vamos voltar “um pouquinho” no tempo? Khan El Khalili está localizado no distrito islâmico do Cairo, e o local foi inicialmente usado para a construção de um maosoléu da Família Real Fatimid, sendo o maosoléu parte de um grande complexo, que incluía o palácio real, construído em 970 DC.

Por volta do século XIV, quando o primeiro sultão mameluco governou o país, o Egito tinha sido devastado pela peste negra. Ainda assim, o país continuou a atuar como um pólo comercial, e como consequência, muitos centros comerciais foram sendo construídos. Por volta de 1389, o cemitério da família Fatimid foi destruído para dar espaço para hospedarias de caravanas.

E como a história é sempre interessantíssima, a hospedaria original ainda pode ser vista na Khan el Khalili atual, ainda que a maioria dos transeuntes estejam mais focados em fazer compras e garantir o melhor preço.

A maioria dos pacotes para o Egito incluem um tour pelo bazar Khan El Khalili, e você tem toda a liberdade para customizar os seus pacotes conosco. E falando em liberdade, geralmente, durante o passeio por esse mercado, os visitantes preferem fazê-lo por conta própria, e nós compreendemos, afinal, é sempre bom ter um tempo para explorar um local sozinho, ainda mais um lugar tão grande como o bazar Khan El Khalili! Nós sempre procuramos incluir espaço em nossos pacotes para que você faça isso.

No final do século XV o mercado original foi destruído e reconstruído em 1511. Essa construção incluiu portões enormes e várias ruas perpendiculares, seguindo o estilo encontrado nos mercados durante o Império Otomano. Quando o bazar Khan EL Khalili foi reconstruído, os produtos eram majoritariamente de luxo, mas não tardou para vendedores de diferentes especiarias começarem a surgir.

O bazar Khan El Khalili nos dias de hoje

Pensa no Rua 25 de Março em São Paulo ou no Centro comercial Saara do Rio de Janeiro. Pensou? Agora, adiciona um estilo árabe. Voilá! Isso é o bazar Khan El Khalili atualmente. O mercado vende de tudo, e é famoso por roupas, temperos, jóias e bijuterias tradicionais e perfumes. A qualidade dos produtos é um dos motivos pelos quais o mercado sobreviveu a tanto tempo, mas também a sua natureza de adaptabilidade; nem tudo hoje em dia visto lá é necessariamente da melhor qualidade (como algumas roupas e itens comprados pela população local), mas são produtos que atendem a demanda das pessoas, afinal esse é um lugar para pechinchar, como veremos a seguir.

Turistas em geral devem tomar cuidado para não cair na armadilha de comprar tudo o que vêem, pois as lembrancinhas e souvenirs disponíveis estão por todos os cantos. Agora, você pode também pode encontrar tecidos, roupas e jóias simplesmente lindas feitas por artesãos locais que realmente traduzem a cultura egípcia. Dica: não saia comprando tudo o que você vir pela frente primeiro; dê uma olhada, faça uma anotação mental e só depois de ter checado outras opções tome uma decisão. Você pode passar horas e até mesmo um dia inteiro andando por Khan, então, sem pressa.

O que comer e onde comer

Olhe, você vai perceber bem rapidamente que egípcios, assim como brasileiros, são similares em muitas coisas, e o amor pela comida e o café é uma delas. O bazar Khan El Khalili é dividido em várias partes e você vai encontrar muitos cafés pelas ruas e ruelas, com pequenas mesinhas e cadeiras ao redor (e possivelmente um grupo de idosos fumando calmamente a sua shisha – narguilé – enquanto jogam jogos de tabuleiro).

Mas prepare-se, porque o café árabe é forte (esqueça o coador). Se estiver pronto para experimentá-lo, fala uma visita ao Fishwai’s Coffee Shop, que está aberto desde 1773 e é a cafeteria mais antiga de todo o Egito.

Ah, você ainda se lembra do escritor Naguib Mahfouz, citado lá em cima? Pois há um restaurante famoso com seu nome no coração do mercado, que serve comida egípcia tradicional, e também é considerado uma atração turística. Então, quando a fome bater, já sabe onde parar.

É hora de barganhar & pechinchar. Dicas preciosas!

The Khan El-Khalili souq is a great place to enjoy traditional Egyptian crafts, buy souvenirs and bargain with local sellers

O Bazar Khan EL Khalili é o lugar ideal para conhecer o artesanato egípcio, comprar souvenirs e barganhar bastante!

Essa é uma dica valiosíssima na hora de visitar o bazar Khan EL Khalili. Então você está lá, andando pelas ruas, vendo souvenirs que te interessam e quer comprar algo. Das duas, uma: ou o produto estará sem preço (muito provavelmente) ou estará com um preço irreal.

O que fazer nessas horas?

1) Barganhar

Não leve a mal; a barganha faz parte da cultura egípcia e da cultura árabe em geral, e os vendedores já estão esperando que você vá fazer isso, então não aceite o primeiro preço que você vir. Quando o vendedor lhe informar quanto algo custa, ofereça o menor preço possível; ele então irá fazer uma contraproposta até vocês chegarem ao preço ideal. Esse preço ideal é geralmente 1/3 do valor originalmente pedido por ele. Ah, faça tudo com um sorriso no rosto, levando na esportiva – brasileiros sabem fazer isso bem -; faz parte da experiência. Se você não conseguir um bom acordo, simplesmente se afaste; se o vendedor realmente quiser vender, ele muito provavelmente vai vir atrás de você com um preço melhor. Em último caso, o bazar Khan El Khalili é enorme e você vai encontrar o mesmo produto a alguns passos em outro estabelecimento.

Não caia na armadilha de aceitar entrar em uma loja; vendedores fazem isso para se sentirem mais confiantes em fazer você comprar algo, mas do lado de fora você já consegue ter uma boa ideia de todos os produtos, então não entre ao menos que valia mesmo a pena. Não vamos mentir; se for sua primeira vez, você pode encontrar uma certa diversão na arte de pechinchar, mas tem horas que isso pode ser um tanto cansativo ou irritante, ainda mais quando vendedores insistem em te vender algo que você sequer quer. Mas, de novo, faz parte da cultura e da experiência, por isso apenas respire fundo e tire o melhor proveito que puder.

2) “Nem tudo o que reluz é ouro”

Você está na fascinante Terra dos Faraós, e é claro que vai querer levar para casa presentes e lembranças, como miniaturas de pirâmides, esfinges e papiros. E sim, é válido! Mas outro motivo para não se deixar levar pelas primeiras compras e vendedores é lembrar-se de que a maioria dos produtos que você vai comprar são feitos da China. Você pode sim encontrar produtos feitos por artesãos locais, mas estes vão ser um pouco mais caros, e é compreensível. Ainda assim, mais caros em comparação a produtos feitos na China, o que não significa que não sejam acessíveis.

3) Não pegue táxi na entrada/ saída do mercado

O bazar Khan El Khalili é frequentado por muitos estrangeiros, então você será facilmente reconhecido. Na hora de ir embora, vão haver vários táxis que se aglomeram em torno do mercado, e eles vão tentar te convencer a fazer a corrida com eles, mas vão cobrar mais; muitos sequer ligam o taxímetro e dizem que este está quebrado. O melhor a se fazer é se distanciar um pouco da área e aí sim pegar um táxi. Se você puder, pode também optar por Uber ou Careem (mesmo que o Uber, só que local); o único problema é que por ser uma área muito movimentada, o motorista pode ter dificuldades de te encontrar e demorar mais.

Mesquita Al-Hussein

Al-Hussein Mosque - Cairo, Egypt

Mesquita Al-Hussein

Antes de ir embora – ou inicar o seu passeio -, vale a pena dar uma parada na Mesquita Al-Hussein, que fica ao lado do bazar Khan El Khalili. Essa mesquita foi construída em 1154 na área do cemitério da família Fatimid, e atualmente é considerada um dos lugares mais sagrados do Cairo. Acredita-se que um dos extratos mais antigos do Alcorão esteja lá.

Homens e mulheres possuem áreas separadas na mesquita e mulheres precisam de um véu para cobrir a cabeça.

É hora de viver tudo o que o Egito tem a te oferecer

Ficou curioso para ver o bazar Khan El Khalili com seus próprios olhos? Pois essa atração e muito mais estão nos nossos pacotes para o Egito, uma terra realmente sem precedentes!

Viagens para o Egito